Friday, October 10, 2008

Lucas: Two Months to Go!!!!!

Desde que descobri que estava grávida o que mais tenho escutado é: aproveita, porque passa rápido. No começo eu até achava que não, afinal, descobri com quase dois meses e ainda faltavam sete pela frente. E quando se falava em semanas então, eu estava com 7 sendo o total 40. Mas não é que as pessoas tinham razão e que realmente passou rápido? Estou com 32 semanas agora e em menos de dois meses o Lucas estará aqui com a gente.

Queria aproveitar o blog para contar um pouco a minha experiência com o sistema de saúde daqui até agora durante a gravidez. Para acalmar os mais alarmados (como eu), estou bastante contente com o tratamento recebedido.

Descobri que estava grávida no dia em que embarquei ao Brasil. No mesmo dia pela manhã eu fiz exame de urina, destes disponíveis nas farmácias e o resultado foi positivo. Como eu realmente não estava pensando que estava grávida, achei que o resultado estivesse errado, e repeti o exame mais duas vezes usando diferentes marcas. Os três resultados foram positivos mas eu não me convenci e chegando ao Brasil fiz o exame de sangue em um laboratório. Poucos dias depois a "surpresa": positivo!

Aproveitei que estava em SP e procurei a minha ginecologista, pois confio nela, e não sabia como as coisas seriam aqui. Fiz todos os exames pré-natais, incluindo um ultrasom, e aproveitei para tirar algumas dúvidas. De São Paulo mesmo liguei para a minha médica aqui e marquei uma consulta para o mesmo dia em que voltaria a Toronto, dali a três semanas.

Chegando aqui levei o ultrasom para a minha family doctor, que o aceitou mesmo estando em Português. Em seguida ela pediu um monte de exames (os mesmos que eu tinha feito no Brasi, até mais) e disse que qualquer problema ela ligava, mas que se não eu deveria voltar no mês seguinte.

Voltei no mês seguinte e ela me explicou que eu poderia escolher entre duas alternativas: a primeira seria ser indicada imediatamente para um obstetra, que me acompanharia até o final da gravidez. A segunda seria continuar com ela até a semana 30 e depois ser acompanhada por um obstetra. Neste caso o obstetra poderia ser um médico que trabalha no mesmo consultório dela ou outro médico se eu preferisse uma médica mulher. Escolhi continuar com ela e ser acompanhada por uma obstetra (mulher) no terceiro trimestre.

Durante todo este tempo foi tudo ótimo. Toda vez que tinha consulta fazia exame de urina, checava a pressão, escutava o batimento cardíaco do Lucas, etc... Claro que estamos no Canada, e as consultas aqui são rápidas. Como eu sou um pouco desconfiada, sempre confirmava com a minha cunhada (que mora aqui e é obstetra) se os procedimentos da family doctor eram corretos. E ela sempre confirmava.

Só tive uma reclamação: quando fiz o ultrasom de 18 semanas, fiz em um clinica diferente do primeiro (com 12 semanas), e o resultado simplesmente não foi entregue à médica. Como aqui os resultados sempre seguem direto para ela, eu não tinha como saber, e só descobri quando fui na consulta do mês seguinte. Ela ligou na mesma hora para o lab na hora e assim que recebeu o resultado, poucos minutos depois, me disse que não estava satisfeita com o que lhe mandaram, e que eu teria que fazer o ultrasom de novo. Mesmo ela dizendo que não teria problema fazer um pouco depois do previsto (a data ideal deste ultrasom é entre 18 e 20 semanas) eu fiquei apavorada, porque justamente neste exame são checados todos os orgãos do bebê. Mais uma vez minha cunhada me acalmou. No final fiz de novo o ultrasom, na mesma clínica que fiz o primeiro, e o resultado foi que estava tudo bem.

Enfim, cheguei na semana 30: hora de mudar para a obstetra (antes disso quando eu estava com 20 e poucas ela me ligou marcando uma consulta para nos conhecermos). Fui pensando ser uma consulta de rotina, mas saí de lá direto para o hospital, pois minha pressão estava alta, eu me queixei de azia, dores de cabeça e ainda por cima visão embassada! Ou seja, poderia estar com pré-eclampsia! Sorte que o Fernando estava junto e foi comigo.

Seguindo orientações da médica, fui direto para o assessment room, onde fui super bem recebida e as enfermeiras me aguardavam (a médica tinha ligado). Me colocaram em uma cama e deixaram algum tempo escutando os batimentos cardíacos do Lucas. Um pouco depois a minha médica apareceu e disse eu só poderia ir embora depois que so resultados dos exames voltassem (dali uma hora e meia). Como ela é meio alarmista, me contou que eu poderia sair de lá e ir para casa (no melhor dos cenários) ou ter um parto prematuro, o que ela não queria, porque estava com apenas 30 semanas. De qualquer jeito como minha pressão estava alta eu teria que fazer repouso até o final da gravidez, e deveria parar de trabalhar imediatamente. Depois de quase duas horas fui liberada para casa, com a condição de voltar no consultório no dia seguinte.

No dia seguinte voltei ao consultório e de lá para o hospital de novo. Desta vez o motivo foi que ela encontrou proteína na minha urina e achou que poderia ser a pressã alta atrapalhando o funcionamento dos rins. Muitos exames depois fui liberada e mais uma vez lembrada que deveria repousar e que deveria voltar no consultório no dia seguinte. Voltei no dia seguinte e ufa, não fui parar no hospital!

Passado o susto estamos bem. Daqui até o final da gravidez, que agora é considerada alto risco, vou à médica e faço ultrasom no hospital (North York General Hospital) toda semana. O ultrasom é rápido e é uma segurança para verificar se o Lucas está crescendo e se desenvolvendo bem. Como aqui eles fazem poucos ultrasons, estou achando bom! Claro que depois de ter feito o ultrasom 3D (este não é coberto pelo governo, mas nós optamos por fazê-lo) o regular perde um pouco a graça. Mas é sempre bom ver a carinha do nosso pequeno e saber que ele está bem:

Escrevo mais quando tiver mais novidades!

6 comments:

Rogério said...

Criança é uma graça na vida de qualuqer casal!!

Mas vou de contar uma coisa... no final, no 8º mês em diante, o casal não aguenta mais. É uma fase que a mulher sente muito calor e dificuldade para respirar, sem contar, que já é o tempo mesmo.

Mas depois disso, é só alegria, receber nosso filho nos braços, acompanhá-lo por todo lugar nas primeiras horas de seu nascimento, amamentá-lo, enfim, tudo é muito bom!!

Abraço e boa semana!

Rogério Lima

Mirella said...

OI Carol,
Não sabia dessa gravidez de risco... mas pelo que vi esta sendo super bem atendida e a Guta também está aí para tirar duvidas em cima da hora, né?
Fica bem e precisando de qualquer coisa, conta comigo!!!
Boa sorte na fase final!
bjs

Paula Regina said...

Que bom que no final está dando tudo certo ! Agora se cuida aí que já já o Lucas vai estar nos seus braços com a benção divina!
Qualquer coisa estamos por aqui, vc sabe né?
bjs

Kika said...

Carol, nao sabia que vc estava gravida. Estou gravida de 06 meses e minhas experiencias foram diferentes das suas... depois vou contar no meu blog.

Espero que esteja bem :):):)

Um beijo e parabens,
Kika

Taís Jacques said...

Carol fica firme aí. pois daqui a pouco tempo, vcs estarão com o Lucas nos braços, acho que o susto maior já passou, e pelo jeito vc está sendo super bem assistida...

Cuidem-se, e avisa assim o Lucas nascer... Boa Sorte e tudo de bom...

abraços,

Taís Jacques

materials said...

I will pass on your article introduced to my other friends, because really good!
wholesale jewelry